Algar Agro exporta para os EUA

Com certificação Kosher, empresa embarca 80 toneladas de ácido graxo neste ano.

Com certificação Kosher, empresa embarca 80 toneladas de ácido graxo neste ano.

Algar Agro exporta para os EUA

São Paulo, 01 de novembro de 2016 - A Algar Agro, braço agrícola do Grupo Algar, iniciou a exportação de ácido graxo com a certificação Kosher para os Estados Unidos. A certificação permite que a empresa exporte para mercados com grande presença da comunidade judaica e agregue valor ao produto.

Matéria-prima para a indústria de vitamina E, o ácido graxo é amplamente utilizado na fabricação de medicamentos e cosméticos. Ao todo, três lotes somando 80 toneladas do produto serão enviados até dezembro para os Estados Unidos. O investimento na certificação foi incentivado pelo mercado promissor e pelos preços mais valorizados.

De acordo com o diretor de Trading da Algar Agro, Douglas Ribeiro, a empresa já produzia o ácido graxo e comercializava o produto no mercado interno. A decisão de investir na certificação Kosher foi tomada devido aos preços mais valorizados praticados no mercado internacional, que ficam cerca de 100% mais elevados. O ácido graxo é resultante do processamento de soja.

A oportunidade de negociar com os Estados Unidos, país cujas regras sanitárias estão entre as mais rigorosas do mundo, contribuirá para ampliar a atuação no mercado internacional, já que outros países adotam o padrão americano para autorizar as importações, como a Europa e o Japão, por exemplo.

“O ácido graxo produzido pela Algar Agro era vendido como commoditie no mercado interno, então para agregar valor e ter melhor retorno financeiro buscamos a certificação Kosher, que atesta que a produção atende às normas judaicas de qualidade do produto. Buscamos também o registro no Food and Drug Administration (FDA), órgão que administra a entrada de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos. Estas certificações foram fundamentais para acessarmos o mercado norte-americano, que é um dos mais promissores para o produto”, explicou Ribeiro.

Após obter as certificações, os esforços foram voltados para a conquista de clientes. Somente neste ano serão feitos três embarques do produto para os Estados Unidos, somando 80 toneladas. O primeiro aconteceu em meados de outubro e os próximos dois serão efetuados até dezembro.

“Devido a todo este trabalho de certificação conseguimos negociar o ácido graxo pelo dobro dos preços praticados no mercado interno. O mercado para o produto é promissor. Os EUA produzem o ácido graxo, mas consomem um volume maior, por isso, são grandes importadores. Pretendemos exportar 100% da produção”, explicou Ribeiro.

A certificação Kosher abrange todos os produtos processados nas fábricas de Uberlândia, no Triângulo, e em Porto Franco, no Maranhão. Além do ácido graxo, as unidades produzem farelo e óleo de soja.

“Ainda não estão buscando mercados específicos para o farelo e para o óleo de soja por serem commoditizados. O mercado não paga a mais pela certificação nestes casos. A valorização do ácido graxo ocorre por ele ser matéria prima para a vitamina E, produto de alto valor agregado utilizado na fabricação de medicamentos e na indústria de cosméticos”, disse Ribeiro.

Ainda segundo Ribeiro, o processo de certificação é resultado do direcionamento estratégico da empresa que pretende atuar em mercado que agreguem mais valor através de produtos commoditizados. “Nossa estratégia é agregar valor aos produtos para ter maior retorno”.


 

Fonte: Diário do Comércio 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

FSB Comunicações
(11) 3165-9749

Marcella Reis
marcellareis@fsb.com.br
(11) 94943-1356

Voltar